Seja bem-vindo(a) ao espaço que pretende ser, simultaneamente, depósito de memória e elemento catalisador de união entre os Sampedrenses.
Ao contrário do que o nome possa fazer transparecer, não se trata de uma associação que exija vinculo por quotas, mas sim, de um grupo de sampedrenses que pretendem, com a sua união, ver nascer uma tradição que querem fomentada e implementada por todos.

Viva SÃO PEDRO DE RIO SECO


Novamente no ar. Desculpem a demora. Grato pela fidelidade.

25 de setembro de 2009

POR TERRAS DE RIBA-CÔA (1)

Rio Côa

(Rio Côa junto à Ponte de São Roque/Castelo Bom, Almeida)

O Rio Côa é um rio português que nasce nos Fóios (Sabugal), mais concretamente na Serra das Mesas, próxima da Serra da Malcata. Percorre cerca de 130 km até desaguar na margem esquerda do rio Douro, perto de Vila Nova de Foz Côa. É dos poucos rios portugueses que efectuam um percurso na direcção Sul-Norte.

Na sua parte final, já perto da foz, a respectiva bacia hidrográfica está limitada a nascente pela ribeira de Aguiar e a poente pelas ribeiras de Centieira e do Vale da Vila. Na margem direita, o relevo atinge altitudes entre os 400 e os 800 metros; na margem oposta, esses valores são menores, oscilando entre os 100 e os 500 metros. A descoberta de gravuras Rupestres (ao longo de 17 Km do vale do Côa) veio reavivar a importância histórica deste rio.

O rio Côa percorre a zona raiana do distrito da Guarda, as Terras de Riba-Côa. Tem um clima marcadamente mediterrânico. A zona de Riba-Côa é dominada por bosques, pinhais, fortalezas (castelos), planaltos e fantásticas paisagens típicas da Beira Interior.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



(Caminho para a nascente)












(Assim nasce um rio)





















(O início do leito)















(O Rio Côa)














Fotos "subtraidas" em: Malcata.net

Sem comentários: